terça-feira, abril 26, 2005

Seu celular foi roubado? Processe o fabricante!!!

Porque celular é um item tao procurado pelos ladroes? Vejamos:

  • Meu telefone é um Nokia 9210 (excelente aparelho!!! Vide www.nokia.com.br) e usa uma bateria que custa quase 200 mangos que fica escondidinha la dentro do aparelho. Se um larapio tirar essa bateria e vender, ele pode vender como nova, que passa. As baterias de ion de litio dificilmente tem diminuição do tempo de standby com o uso continuo. Ela de repente despenca, e nao perde a capacidade aos poucos. O interessante, é que TODA bateria de ion de litio é microprocessada, ou seja, tem um microprocessador dentro dela (!!) que controla a carga/descarga da mesma. Como esse microprocessador se comunica com o processador do telefone, nao custava NADA implementar um recurso de segurança que fizesse aquela bateria funcionar apenas com aquele telefone com o qual ela foi casada nas primeiras 4 ou 5 cargas. Assim ela ainda poderia ser usada para testes (se ela perceber um telefone diferente a cada vez que é energizada, ela continua sendo "universal". Se for carregada 3 ou 4 vezes no mesmo aparelho, configura bateria propria do aparelho, entao ela fica travada a aquele aparelho e nao funcionaria em nenhum outro) e manter a segurança. Falta de vontade dos fabricantes.
  • As PEÇAS do telefone sao carissimas, e tambem nao sao casadas ao mesmo. Vai ver quanto custa um LCD do meu 9210...
  • O NUMERO DE SERIE ELETRONICO do telefone é facilimo de ser alterado. Desde os primordios da telefonia celular, o aparelho tem um numero chamado ESN (IMEI para os telefones GSM) que é o numero que identifica o aparelho perante a operadora. Quando o telefone faz uma chamada, ele manda a requisição de chamada pra celula, sempre acompanhado de seu ESN. Se o ESN nao bater com o numero (telefonico) do aparelho, babau. Ligação cortada. SO QUE o tal do ESN ficou tao facil de ser alterado, que pegar um telefone ultimo-tipo que foi achado na rua ou roubado, trocar (o pessoal fala "virar") o ESN dele pra o de um Nokia-pé-de-boi comprado por 1.99 e usar normalmente, virou **comum**. O mais engraçado é que nos telefones GSM, justamente pela facilidade de trocar o tal "chip", nem a verificação de IMEI é feita mais. E pensar que, nao apenas o telefone pode ser PERMANENTEMENTE BLOQUEADO por estar com um IMEI roubado, como tambem a operadora pode dizer ONDE O TELEFONE ESTÁ monitorando em qual celula ele está ativado e fazendo triangulação do sinal. Obvio que aqui no Brasil, ninguem faz isso. Tambem obvio dizer que toda essa confusao por troca de ESN poderia ser impedida pelos fabricantes do aparelho, se o processador fosse um die de silicio bondded na placa com trocentos quilos de epoxy por cima, e o ESN ficasse gravado DENTRO desse blob de epoxy. Mas cadê que alguem faz isso? Pelo contrario, é comum encontrar o ESN gravado em uma memoria serial 93LCxx ou 24LCxx EXTERNAMENTE ao processador
Pessoal, eu que sou mais burro, sei proteger meus projetos. E voces? Francamente heim...