sexta-feira, maio 27, 2005

O predador!

Como se acaba com uma relação de negocios bilateral...e de quebra com uma sociedade.

Dois detalhes ontem e hoje me fizeram criar esse post. Pra proteger nomes, datas e situações, eu vou usar uma metafora.

Era uma vez um rapaz que queria descobrir uma coisa. Ele sabia que quando conseguisse descobrir o funcionamento daquela coisa, nao apenas ganharia muito dinheiro. Mas seria muito feliz por ter conseguido aquela coisa.

Um dia, ele conheceu uma pessoa que conseguiu, e um novo mundo se abriu diante dos seus olhos.

Com essa coisa, esse rapaz ganhava muito dinheiro, e quem lhe abriu os olhos tambem. Trabalhavam em simbiose. O nosso rapaz poderia fazer sozinho. Mas pareceu-lhe correto - ja que a pessoa que havia conseguido executar a tarefa lhe mostrou o caminho - que ele dividisse os seus ganhos com essa pessoa. 50/50. Em homenagem a pessoa que lhe mostrou o caminho.

Um dia, esta mesma pessoa que lhe mostrou o caminho, cresceu o olho. Achou que o nosso jovem, nao apenas honesto, mas profundamente justo, estivesse ganhando mais que ele. E interferiu em uma negociação, o que constrangeu nosso rapaz e o cliente. Criando inclusive um clima pesado entre nosso rapaz e o ja citado cliente.

Nesse dia, nosso rapaz encheu-se de razao e passou a ganhar dinheiro sozinho. Ele sabia ganhar, ele tinha como ganhar. Nao precisava do "professor". Apenas o abastecia de dinheiro facil, por uma questao de principios. Uma vez que o "professor" mostrou-se predatorio, foi eliminado por completo.

Assim é a vida.

Da mesma forma, conheço um rapaz que assumiu uma divida. Essa divida era grande, mas o rapaz precisava assumi-la. Sempre pagou direitinho. Até o dia que nao pode mais pagar, por um pequeno - e temporario - problema.

O credor voou em cima dele, com unhas e dentes. Tentou extrair cada centavo que podia extrair do bolso do nosso rapaz.

O rapaz foi administrando a questao, de forma a efetivamente resolve-la. A grande custo monetario. Porem ele queria - como rapaz justo e honesto - resolve-la.

E o credor continuou com suas garras a admoestar o rapaz.

Um dia, vira o credor do nada e fala "devolva-me o que te vendi, sem direito a nada".

Nosso rapaz retrucou "Só por cima do meu cadaver!"

Entao ele colocou suas garras de fora, e fez com que o credor nao apenas zerasse a divida, de tanto que o nosso rapaz ja havia pago, como tambem ainda teve que devolver dinheiro.

Se a historia tem uma moral, a moral é essa: Quando joao e josé fazem um negocio em que ambos lucram, todo mundo fica feliz e o dinheiro continua circulando. Mas quando joao ganha mais do que josé, um dia joao terá tudo e josé nao terá nada. E isso vai ser ruim pra ambos e todos os que estao ao redor.

Nao seja um predador. Predadores me deixam insanamente irritado. Eu avisei.

Nenhum comentário: