quinta-feira, dezembro 01, 2005

A descartabilidade do corpo humano e o legado do conhecimento

Pra quem nao sabe, eu tento tocar teclado desde pequeno.

Obvio, eu tenho meus idolos. Um deles é Robert Moog, falecido mes retrasado aos 71 anos de uma doença cerebral. Outro é John Paia Simonton, da Paia Music, fabricante de equipamentos para musica. Tambem foi dessa pra melhor por esses dias.

Ambos eram projetistas (Moog era engenheiro, Simonton era autodidata) e tinham um vasto conhecimento na area de musica e eletronica. Basta dizer que Moog criou o Moog modular e o Minimoog. Simonton criou os famosos modulos da Paia. Ambos eram conhecidos pela sua doçura e pela vontade de fazer sempre mais e melhor. Hackers no sentido mais visceral da palavra.

Porem eu fico pensando...Moog se foi com 71 anos. Simonton eu nao sei, mas tambem foi dai pra baixo. E todo o seu conhecimento, experiencia, know-how acumulado?

Foi tudo pro caixao, junto com eles.

Nisso eu penso na descartabilidade do corpo humano...71 anos de experiencia em musica e eletronica, e Moog levou isso tudo pro caixao. Ele nao podia fazer melhor, nao dava pra fazer um "backup" do conhecimento dele e inserir em outro cerebro. Mas ai está a faceta mais dolorosa da raça humana - voce morre e tudo aquilo que voce sabia se perde no momento do ultimo suspiro. E parando pra pensar, 71 anos nem é tanto tempo assim. Eu ja to perto...

É importante preservar o legado de Moog e Simonton, assim como o legado de outros grandes cientistas, projetistas, tecnicos e curiosos. Eles fizeram importantes contribuições para a humanidade e poderiam ter feito mais ainda. Se eles nao puderam fazer, é trabalho de quem ficou "continuar rolando essa bola".

E voce que tem conhecimento, divulgue-o. Crie um legado para ser preservado. As gerações futuras agradecem...

Nenhum comentário: