sexta-feira, dezembro 05, 2008

Po, eu gosto de Knight Rider! :oP

É, eu gosto. Sabe porque nao gostam?

As coisas mudaram. Quando eu era miudinho e assistia a Super-Maquina, com o "Hoff", eu sabia que ia demorar uma cara até o carro falar que nem uma pessoa. E olha que na tradução brasileira o K.I.T.T. nao era tao sarcastico...em ingles as piadas dele sao muito mais acidas :D Mas eu era miudo e acreditava no futuro. o Knight Industries Two Thousand era um carro do futuro, e ponto final.

Mas hoje em dia? O novo Knight Rider é um show a parte, é **diferente** do Knight Rider original. Há novos personagens que se encaixam na trama, há um tipo de comedia diferente. O filme é de ação, mas tem as peripecias amorosas sempre engraçadas da Sue e do Billy. A moreninha la que eu nunca lembro o nome e o Alex é que deviam ser literalmente capados da festa. Começa que a moreninha agente do FBI ja deixou bem claro que é lesbica, desatenta e metida-a-macho (pra quem nao acredita, veja o piloto da serie que ela volta da praia e tem uma loiraça deitada na sua cama, ela diz que a loira pode ficar a vontade e a loira pergunta estupefata se ela nao tem medo de deixar uma desconhecida na sua casa. Ai ela mostra o distintivo e a arma, a loirinha entende que nao). O Alex é outro picolé de chuchú. Os dois nao fazem falta alguma. Mas o Billy e a Sue merecem um programa a parte :) Alias, os dois lembram o papa-leguas e o coyote, ou entao Tom e Jerry.

A questao toda é que o nivel de compreensao das pessoas mudou bastante.

Antigamente, na epoca da primeira Super-Maquina, um computador falar era uma coisa bastante complicada, nem pensar em ele conversar com voce. Alias, um computador com parte do poderio do K.I.T.T. ocupava um bairro inteiro. Serio. Nem pensar que um computador pessoal, por mais avançado que fosse, fizesse 20% do que o KITT (ah, cansei dos pontinhos) fazia. Ver o KITT falando e interagindo com o Michael, controlando o carro e tal...era um sonho de todos os adolescentes.

Agora...a super-maquina moderna? Começa pela estrutura de nanocompostos. A grande maioria das pessoas sabe o que é um nanocomposto, e que dificilmente ele se comportaria da forma que se comporta no filme. Aquela "morfada" do carro em pick-up e carro de corrida entao...ah, dá um tempo!!! Trocar de cor ainda vá lá. Mas um mustang virar uma pick-up? Puxando e empurrando paineis pra la e pra ca? Saiu do reino da POSSIBILIDADE pra entrar no reino da MAGICA. E, infelizmente, magica nao existe. Trace um paralelo (eu tenho historias engraçadissimas desse negocio de traçar paralelos, minha antiga professora de historia, dona Helena - por onde estará ela? - que o diga hehehehehe) entre a super-maquina antiga e a nova. Enquanto na super-maquina antiga tinhamos coisas futuristas e POSSIVEIS, na super-maquina nova temos um monte de coisas que...bem, simplesmente nao desce.

O pior de tudo? O conhecimento geral da população aumentou. Por isso, certas historias nao descem mais pela garganta. A super-maquina antiga tornou-se um pouco chata, mas passavel. A nova é muito divertida, mas tem tanta cascata que gera rejeição das pessoas que efetivamente estao assistindo a festa.

Tomara que o show nao acabe. Agora, só em 2009 :( Buááá :(

Um comentário:

Igor disse...

Pô! Eu também gosto e baixo todos os espisódios até agora. Foda-se a falta de realidade: o absurdo ainda convence!!
A série é boa demais!