quarta-feira, maio 18, 2016

Historias de uma infancia Tabajara: A Livraria

(os nomes serao omitidos por questoes obvias)

Eu sempre fiz as coisas muito cedo. Nao, nao e isso que voce esta pensando. Estou falando neste caso de falar ingles. Considere que com meus 14-15 anos, eu ja falava um ingles razoavel. E com 16, falava com relativa perfeição. Era o melhor aluno de onde eu estudava, e era muito dificil alguem sequer tentar me bater no ingles. Enquanto todo mundo estava no curso porque papai mandou, eu estava la porque precisava desesperadoramente falar ingles. Mexia com informatica e, pra variar, os melhores livros e periodicos estavam em ingles.

Um dia, sai do curso de ingles na minha indumentaria "basica". Chinelo (velho) de dedo, camisa (rasgadinha), bermuda (suja), caderno (velho e dobrado no meio) debaixo do braço, caneta (bic) atras da orelha. Invariavelmente, eu parecia um mendigo. Mas um mendigo com - pasme - cartao de credito no bolso. E dinheiro na conta.

Entrei na livraria que sempre ia, havia mudado a gerencia, nao vi la o gerente de costume. Tudo bem, parei em frente a parte das revistas importadas, peguei a "Computer Shopper" e comecei a ler. Nisso, me vem um engravatadinho e começa o dialogo inesquecivel.

- Ah...posso ajuda-lo?
- Nao senhor, obrigado. Estou dando apenas uma olhada
- Qualé muleque, ate parece que voce entende alguma coisa do que ta escrito ai. Vaza.
- (alguns minutos lendo a revista em voz alta e puxando assunto com o cara em um ingles britanico impecavel)
- ...
- Acho que eu entendo um pouquinho do assunto, nao acha?
- Eh...er...bem, caso o sr. precise de alguma coisa, estou a disposicao
- Muito grato, meu caro.

Nisso, as pessoas ao redor ja estavam se acabando de rir...

Ato continuo, peguei os periodicos que eu sempre comprava (estamos falando de 6 ou 7 revistas) mais uns 2 livros e vou ao caixa. Menina nova, muito bonita, de olhos castanho claros. Viria a ser minha namorada no futuro :o) Mas neste momento, perguntou com cara de espantada "dinheiro ou cheque?" e eu puxei aquele poderoso mastercard da carteira..."cartao". Para desespero da menina.

Desespero porque, como poderia um moleque de 16 anos, vestido como um mendigo, com aquela cara de pastel, ter um cartao de credito???

A menina checou o cartao no "caderno de cartoes invalidos" umas 2 ou 3 vezes. E ligou pra operadora pra confirmar mais duas vezes. Vale lembrar que, se faço 42 em 1 semana (quero presentes!), quando eu tinha 16 anos ainda era a epoca do cartao com maquina "manual" e aqueles cadernos com milhares de cartoes cancelados/bloqueados. Mas no final estava tudo certo, paguei minha compra (o que nao foi nada barato) e fui embora, feliz e contente, rindo da situacao inusitada :o)

Nem sempre aparencia é sinal de fortuna.

E sim, eu ja tive dias bem melhores que os de hoje.

3 comentários:

Newton Pessoa disse...

Você poderia dar umas dicas de como aprender inglês.

Alexandre Souza - PU1BZZ disse...

Facil:
- Estude em um bom curso
- Ache uma necessidade pra aprender ingles, nao aprenda por aprender
- PENSE em ingles. Primeiro olhe pra objetos e pense no nome. Olha pra uma cama e pensa "bed". Olhe pra uma mesa e pense "table". Depois, faça simples frases com o objetivo de se acostumar com frases, como "it is a table", "I sleep in a bed". Apos, faça frases mais complexas, mas NUNCA traduza. Observe numeros e pense nos equivalentes em ingles, nunca pense nas equivalencias em portugues (1987 é nineteen eight-seven, e nao one thousand, nine hundred, eight seven. Americano/ingles nao falam assim. 1500 dolares nao sao one thousand five hundred, nem one thousand and a half. Americanoc costuma falar fifteen hundred. Serio!)

So com a regra do PENSAR em ingles, voce ja avança horrores. No primeiro dia voce ri da minha cara. Na primeira semana voce acha impossivel. Em 2 meses voce está conversando em ingles, mesmo que esteja falando tudo errado

Boa sorte! As dicas sao da professora Luiza Armelau, mas eu guardei-as no coracao e na mente ate hoje :)

Newton Pessoa disse...

Não, eu digo para você fazer um post com dicas como estas.