sábado, maio 06, 2017

Transformando o YIS503/II em CX7M/128 (parte 3)

No ultimo capitulo da nossa saga, demos aquela passeada pelos intestinos do YIS503/II. Lembrando que teremos marromenos esses passos (em negrito é o que faremos hoje):
  • Apresentacao do computador (parte anterior)
  • Desmonte completo
  • Expansao da VRAM
  • Expansao da RAM
  • Instalacao do circuito de mapper
  • Instalacao do chip de relogio
  • Expansao da ROM
  • (quem sabe...) Expansao para 2+
   Hoje nos vamos fazer a transformação PREELIMINAR deste micro pra MSX2 da forma "certa"

Primeiro, por que "preeliminar"?

Porque esse micro merece muito mais, e cabe muito mais coisa nele. Merece ter uma mapper decente interna, uma placa de VRAM decente e algum uso pros slots internos de memoria que estao disponiveis e nao usados :o)

Pra ter um MSX2.0 COMPLETO, entao voce precisa ter o circuito de relogio. Na placa ha lugar nao apenas pra mapper completa, mas tambem pro circuito de relogio. Aqui esta o circuito ja montado na placa. Era pra ter tirado a foto ANTES de motar as peças, mas eu tirei com o celular, saiu horrivel.


Pra nao dizer que está tudo montado, faltou montar o Trimmer (TC301) e o conector da bateria (CN315). Uma dica muito importante: SEM CLOCK DE 32.768kHz O MSX NAO FUNCIONA. Advinha como eu descobri? Isso mesmo, nao coloquei o Trimmer, ele fica em serie com o cristal do relogio e o micro nao partia. Obvio, estou usando as roms ORIGINAIS do CX7M/128.

Mas vamos por partes. Primeiro, voce vai colocar um soquete para a sub-rom. Nao tem milagre, é tirar as soldas e soldar o soquete.


Eu usei um soquete torneado, mas nao há "necessidade". Coloquei pq tinha a mao. O soquete vai no IC323.

Colocado o soquete, vamos passar pro pedaço da placa onde vao os circuitos da mapper e do relogio. A lista de peças está aqui


Nao tem muito misterio. Soquetes em todos os integrados, a unica coisa "delicada" é a colocacao dos transistores. Os originais tem a polaridade C B E, e os substitutos brasileiros a polaridade é E C B. Voce vai levantar a perna mais a direita do transistor, encaixar o transistor 1 furo deslocado a direita e o terminal que voce levantou, vai ligar no furo que ficou vago mais a esquerda. Vide fotos.

Colocadas as peças, voce remonta o micro (ainda como MSX1) e testa. Tudo tem que funcionar.

Depois, vamos pra expansao "provisoria" da VRAM...A VRAM neste micro fica em uma "placa-trampolim) com 16K de VRAM.


O engraçado é que tem uma "gambiarra" pra placa-trampolim ser ligada no CAS0 do VDP...


Primeiro, a Yamaha cortou o fio do CAS1 (segundo banco de 64K) que iria para o soquete da placa-trampolim. Ta dando pra ver ali dentro do quadrado vermelho o corte na trilha?


Depois ela pegou o sinal de CAS0 que iria para o primeiro banco de 64K na propria placa mae, e jogou no pino correspondente do soquete da placa-trampolim.

Tao bolados pq isso, ne? Vou explicar...

Pelo que o Leonard Oliveira falou, esse micro ficou pronto ANTES de terminarem com o BIOS/BASIC do MSX2, entao o micro é um MSX2 inteiro, faltando pouca coisa. So que naquela epoca, 8 chips de 64Kx1 (que é o que tem o espaco na placa) custavam ABSURDAMENTE MAIS CARO que 2 chips de 16K x 4, mais as peças da placa-trampolim. Entao era "razoavel" todo esse trabalho pra ter apenas 16K de VRAM na placa. Hoje em dia a economia seria irrisoria.

Entao, pra "quebrar o galho" enquanto as placas que o Luciano Sturaro projetou estao vindo da china, nós vamos colocar 64K na placa mae e modificar a placa-trampolim pra caber 2 memorias de 64K x 4.

Na placa mae, vamos primeiro retirar o fio vermelho da foto acima. E vamos refazer a conexao por baixo da placa.


Com isso, temos novamente o CAS1 na placa-trampolim.

Vamos limpar as soldas do banco de 64K de VRAM da placa mae e - claro - instalar soquetes. La vao 8x 4164.


Feito isso, seu micro ja deve ter 64K de VRAM. Nao adianta testar pelo TESTRAM, ele so reconhece 16K de VRAM em um MSX1 :o( Mas mesmo assim ligue o micro e verifique se esta tudo funcionando. Obvio que esse teste é pra ser feito SEM a placa-trampolim instalada, ne?! :o)

Agora vamos modificar a placa-trampolim. Retire as 4416 da placa e instale um par de 4464 com os pinos 10 e 14 levantados. Soquete SEMPRE, né? :oD


Essa modificacao eu copiei do Jean-Pierre Dubois, voce liga os pinos 10  e os pinos 14 juntos. Os pinos 10 voce liga ao pino 14 do conector branco. Os pinos 14 voce liga ao pino 17 do mesmo conector


Feio bobo e chato, mas com isso voce consegue 128K de VRAM no MSX2 com pouco trabalho. Prontinho, só encaixar a placa-trampolim no lugar e ligar pra testar com o BIOS do MSX1. Tem que funcionar.


Agora o grande momento - Vamos bootar como MSX2!!!

Primeiro voce vai pegar um desses conjuntos de memorias:
  • ROMs do CX7M/128 - originais da Yamaha
  • ROMs do CX7M/128 - modificadas para NAO USAR o chip de relogio
  • ROMs de 2.0 do Fabio Belavenuto, modificadas pra usar nesse Yamaha COM chip de relogio
E grave as ROMs em duas memorias 27256 (ou 27C256). O motivo de eu estar usando uma 27C256 na MSX2EXT.ROM é que as 27128 sao mais caras e mais dificeis de achar. Entao ja preparei o arquivo pra 27C256. Basta coloca-las no lugar e ligar :oD


FUNFOU! :oD

Essa é a transformacao "gambiarra". Gambiarra porque o correto (e que vamos fazer) é usar a placa de VRAM com 128K, e a placa de RAM com 2 megas de mapper. Se podemos fazer direitinho, pq vamos fazer gambiarra, né? :o)

As placas ja estao encomendadas. Quando chegarem, teremos um post com a montagem, instalacao e teste das placas. O projeto das placas é do Luciano Sturaro. Quem quiser ajudar a "quebrar" o custo que eu tive pra fazer essas placas, pode jogar uma moedinha na minha conta (caixa economica, peca o numero pelo alexandre@tabalabs.com.br) ou via paypal (peça tambem o endereço). Quem contribuir com mais de 50 reais (e o frete) leva um jogo de placas de presente.

Espero que tenham gostado. Ainda tem mais, aguardem o proximo post :o)