domingo, abril 26, 2009

Andando pra frente, com o pé no freio

Bem, como muita gente deve saber aqui, meu "alter-ego" nao tabajaristico é justamente projetista de equipamentos eletronicos. Minha especialidade é sistemas embarcados, o que é mais ou menos um equipamento auto-suficiente, muitas vezes até em alimentação. Obvio, por força de contrato eu nao posso mostrar muitas das minhas realizacoes. Mas um dia eu coloco qualquer coisa aqui.

Mas eu essa madrugada (pra quem nao sabe eu raramente durmo a noite) estava lendo no banheiro uma revista americana. La tem de tudo: Anuncios de lojas de surplus (material usado ou excedente de estoque), peças das mais variadas, kits para montagem, N cursos e coisas do genero. Ou seja, o americano tem tudo a disposicao.

E a revista era de 1953.

Eu fico vendo essas coisas e sempre me espantando com a realidade brasileira. Revista de eletronica temos muito poucas. As antigas que resistiram (notoriamente a Saber Eletronica e a Antenna-Eletronica Popular) sao arremedos do que eram antigamente. A Saber nem tanto, O Fittipaldi se esforça pra manter a coisa "no eixo". A Antenna, depois que o saudoso GAP morreu, tornou-se uma amostra gratis (que nao é barata) da excelente revista que era. As revistas "novas" que apareceram no mercado sao completamente insossas. E para pisar em cima, o advento da internet cuspiu em cima das revistas impressas.

Por outro lado, revistas como a Circuit Cellar só aumentam a tiragem. Isso porque ela - segundo seu fundador, o fantastico Steve Ciarcia - "é uma revista atemporal. Os circuitos apresentados podem até estar obsoletos, porem a engenharia, o metodo usado para a criação do circuito é sempre atual e usado como fonte de referencia por gerações". Sao as palavras dele, com as quais eu concordo plenamente.

>>>AQUI<<< estao os tres primeiros livros dele. Leiam esses livros de 1900 e bolinha, e veja como sao atuais

Treinamento tecnico é uma piada de mau gosto. Com a profusao do "C" para aplicacoes embarcadas (e aqui fica meu parenteses: Acho isso uma estupidez, mas isso é assunto pra outra postagem) é inacreditavel que nao haja NENHUM curso basico, avançado ou rapido de "C" na grande Vitoria (ES). Sim, eu estou falando NENHUM. E se tem, nao faz propaganda de forma que chegue aos meus ouvidos. E eu sou um cara "razoavelmente" informado.

Aquisição de componentes e ferramental? ES-QUE-CE®. Aqui no ES nao se acha nada que preste nas lojas de eletronica. Os vendedores mais antigos ficam - pasmem - envergonhados quando eu vou la e peço algo mais-ou-menos basico e nao tem peça nenhuma. Ou tem uma, ou duas peças. Isso gera um movimento ruim - é comum eu chegar numa loja e comprar "o estoque todo" de um componente. Outro dia vi um esquema interessante de frequencimetro que usava um 4040 (contador binario de 14 bits) como prescaler (divisor de frequencia). Tinha UMA loja que tinha OITO em estoque. Pergunta se eu comprei os oito? Quando vao repor? Hahahahahaha... Alias, parece que as lojas estao seguindo uma tendencia perigosa - a de so se preocupar com som de igreja. O Brasil é movido a igrejas, brevemente teremos uma nova casta de intocaveis a se preocupar: Os clericos. Voltamos a inquisição!

Ferros-velhos estao impossiveis de se visitar. Vira e mexe voce vai a um ferro velho e o dono quer lhe cobrar 100 reais por uma caixa de metal que ele pagou 28 centavos o quilo. E nao tem 4 quilos. Tao ficando espertinhos, vao acabar ficando com uma cacetada de material encalhado e depois sendo obrigados a vender a preço de ferro-velho. Em quantidade, porque dificilmente eles vao aceitar vender para os pobres lacaios que vao procurar componentes usados a preços modicos. É o avanço da internerd.

Ferramentas? La nos USA voce encontra qualquer coisa que voce sonhar que possa existir em ferramentas, a preços modicos em qualquer buraco. Aqui voce paga fortunas por ferramentas vagabundas e, quando encontra xing-ling-pong a preços "razoaveis" o troço é tao ruim, mas TAO RUIM que nem pensar em usar, voce pode estar arriscando a sua propria vida. Tente usar a serra circular da mesa-9-em-1 da Ferrari.

Resumo da opera? Andamos pra frente, em passos lentos, com o pé no freio. Se os pesquisadores independentes tivessem melhor acesso a cursos, ferramental e material de consumo (componentes, materia prima, etc) onde poderiamos estar? Ou somos um país que so presta pra exportar ronaldinhos boiolas e prostitutas de luxo???

Tamos no sal...

9 comentários:

Rodrigo disse...

É camarada,aqui em Sâo Paulo está a mesma coisa, a Santa Efigênia não é a mesma de tempos atrás,praticamente hoje, é a rua Timbiras e olhe lá que ainda tem umas lojas decentes...
Outra coisa, a revista ANTENA-ELETRONICA POPULAR parou de circular? Fui um dia perguntar na ESQUEMATECA e o pessoal de lá falou que faliu.Tu sabes o que realmente aconteceu.Estou preocupado...

Alexandre Souza - PU1BZZ disse...

O problema da Sta é que ficou TAO CARO colocar uma loja "de rua" que a maioria das lojas virou escritorio com meia duzia de gente la dentro e um deposito com os componentes. Ou seja, as melhores ofertas voce acha nos predioszinhos no segundo, terceiro andar. Quanto a Antenna...Depois que o GAP morreu (e nao sei o que aconteceu com o GAP filho) ta uma confusao danada la dentro, a revista virou bimestral, o nivel despencou mas eu acredito que ela ainda tenha circulação "regular"...osso ne? :(

Leonardo Schunk disse...

A Rua dos Timbiras tem lojas que ainda se salvam com coisas realmente boas, porém muito caras...
A livraria técnica Vitória tem livro excelentes, alguns publicados até de forma indepedente pelo autor, e muitos livros importados (inclusive de informática), porém os livros são tão caros que são simplesmente inacessíveis.....
Alexandre eu não entendi o que vc quis dizer com a parte do c para sistemas. Vc é contra ?? Porque ???
outra coisa, o link para os livros do Steve Ciarcia não funciona...
Abraços !!!!!

Leonardo Schunk disse...

Ah esqueci de comentar da Elektor que tem circuitos tão caros de construir e o preço da mesma é tão alto que tudo chega a ser uma piada....

SUIKA disse...

Oi, Tabajarinha! Por que não muda para Sampa? Ficar no meio do mato para sua profissão parece não ser a melhor alternatia para rechear os seus bolsos vazios. :)


Suiká

Alexandre Souza - PU1BZZ disse...

Ô Tschunk, o link ta funcionando perfeitamente, vai la de novo e olha, acabei de passar lá.

Suikinha, a questao é qualidade de vida. Quando que eu ia morar numa casa com quintal cheio de graminha (aquela fofa, gostosa de deitar em cima) na beira da praia, ai em Sampa? Neeeeeeeeeeeem...tem coisas que nem todo o dinheiro do mundo paga :)

Leonardo Schunk disse...

Putz cara, o link não funciona aqui...
Nem no firefox nem no IE porcaria...
Acho que o problema sou eu...ainda olhei o código fonte da página e não achei nenhum endereço....

emersonfxbx disse...

Cara que programa em assembly reclamando do pobre do "C" ? Eu sou o cara que pegou os seus discos de Amiga, há algum tempo (copiei pra discos novos e os originais estão no "caixote azul")... Parte do meu trabalho atual é dar manutenção em sistema legado em "C". Se tiver alguma dúvida, manda um "alô". Se estiver ao meu alcance, terei prazer em ajudar.

Ricardo disse...

Fazer som p/ igreja é o q dá dinheiro, né? Então... Vai-se até onde está a maior fonte de renda, tio. N é uma questão de serem intocáveis, é uma questão de serem rentáveis p/ a loja!

E o q vc fala dessas questões a respeito de eletrônica... É osso mesmo.