sexta-feira, maio 05, 2006

Requentando o mexido de semana passada

Eu assumo: Me amarro em videogames. Mais no aparelho em si, do que nos jogos. Mas sou um aprecador das velhas obras de arte: Pong, tetris, blockout (tetris em 3D, se nao conhece pegue agora!!!), enduro, river raid, keystone kepers, seaquest, megamania, laser gates (wow!), um monte de coisa velha

Só que pra jogar coisa velha, eu tenho meu atari e meu telejogo.

Broxa ver empresas como a Nintendo lançando a bilhonesima versao do super mario, a enesima bilhonesima versao do mario party e a duocentesima versao do F-zero. Ah, e a tetrabilhonesima versao do Zelda, só pra completar. Parece que cada videogame novo se apoia no antigo, mas nao pinta nada de novo.

Alguns remakes sao primorosos. Alias, "Gradius V" do PS/2 e o "Outrun 2006: Coast to Coast" do Xbox, sao remakes/continuacoes/requentagens de primeirissima linha. Eles sao tudo aquilo que os originais nao podiam ser por limitações de hardware e preço. Mas convenhamos: Zelda 1*10^123 nao é um titulo assim, vamos dizer, "interessante".

Ta na hora de carne nova! Experiencias novas, quebrar paradigmas! Gran Turismo 4 é uma continuação que se reinventa a cada momento. Tudo que ja poderia ter sido feito em forma de videogame, ja foi feito. Entao porque nao começar de novo? Back to basics? Talvez seja o motivo desse "revival" do Atari, e o sucesso do Atari Flashback 2.0, que nada mais é que um atari de 1900 e bolinha numa caixinha menor. Voce conhece alguem que nao goste de jogar enduro ou river raid??? Nao né? Pois é, as vezes a simplicidade é a melhor forma de conquista, nao adianta ter os graficos maravilhosos de um videogame novo, que o enredo do jogo nao atrai, o gameplay nao é interessante, o jogo é simplesmente UM PORRE!

Quem trabalha com comunicacao (e isso envolve qualquer coisa que propicie interação entre o homem e alguma coisa) tem que sempre se reinventar. A quebra de paradigmas tem que ser constante. Quando tudo ja tinha sido feito em materia de computacao grafica, a Newtek foi e criou a video toaster - Que ATE HOJE NAO FOI ALCANÇADA - até mesmo pela video toaster do PC. Isso é quebra de paradigma, porque manipularam o video de uma forma nova, criativa, jamais pensada no meio "profissional" - Um efeito que dura dois decimos de segundo, nao precisa necessariamente ter resolução de broadcast. Ninguem vai ver quadro-a-quadro no TV.

Variedade é o tempero da vida!

Nenhum comentário: