sábado, maio 02, 2009

Reclamantes justos e injustos, reclamações justas e injustas

Eu estava pesquisando um assunto (interessantissimo) de um amigo, o Prof. Eduardo, quando tropecei no tal de CMI - Centro de midia independente

Eu fico realmente espantado com a capacidade das pessoas erradas corromperem as pessoas certas, as ideias certas e os movimentos certos.

O CMI é um movimento valido. Sua bandeira pelas radios independentes é fabulosa, e apregoa a liberdade de expressao. Dou o maior valor a esta entidade, mas percebe-se que, as maçãs podres estao sempre presentes e causando celeuma.

Nao se pode misturar alhos e bugalhos. Há discriminação em qualquer lugar do mundo. Há pessoas erradas e criminosos, mas é preciso separar o joio do trigo.

Estava lendo agora no CMI por exemplo a materia de que alguns jovens "vestidos de acordo com a cultura hip-hop" tentaram entrar no shopping e foram barrados, sendo tratados como "lixo".

Será?

Eu tenho meu pé atras com essa juventude biruta. Primeiro que hip-hop pra mim nao é cultura. É um americanismo gangsta, coisa de vagabundo americano. Depois que a propria "cultura" incentiva o "é nóis" e "é tudo nosso". Entao é bastante comum voce ver os marginaiszinhos entrando nos onibus, com seus celulares tocando musicas pornograficas e incomodas em alto volume e flagrante desrespeito aos outros passageiros. Indagando acerca do ato, alem da resposta usualmente violenta, acompanha a frase "é tudo nosso". Como se eles tivessem algum direito alem do direito universal de pagar a passagem e viajar no onibus.

Uma cambada de vagabundos.

Eu sou cidadao, cumpridor das minhas obrigações e respeitador das leis. Ando de onibus sempre quando necessario, afinal nao tenho mais automovel. Por isso eu vejo essas coisas. Os "magnatas" e os "politicos" nao veem isso, afinal sempre andam de carro com filme G5 (o que é ilegal, pelo menos para as castas mais baixas da população) com as janelas fechadas e ar condicionado ligado. Ou seja, completamente isolados das "castas" inferiores - normalmente de onde vieram.

E o povo, moido pelas dificulidades, dificilmente se revolta contra isso, porque os 180 milhoes de brasileiros se acham menos que os 300 picaretas com (falso) titulo de doutor. Titulo (falso) esse que foi dado justamente pelos 180 milhoes de Brasileiros.

O povo americano ta laaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa na frente, nao é a toa nao...

2 comentários:

Renata Rainho disse...

eu odeio andar de ônibus com gente folgada.

henrique disse...

Eu acredito que exista uma parcela da população que tem como meta, coagir os outros, nem sempre é por força, mas é por ter certeza de que não vamos desafia-los. Aqui acontece muito com os crakeiros, que ficam estorquindo as pesssoas a pagar para estacionar na rua.